Pré-Modernismo (continuação)

Características

Assim como o Romantismo, o Pré-Modernismo caracterizava-se pela temática nacionalista; o primeiro, com textos de cunho ufanista e o segundo, com um nacionalismo crítico, questionador.

Os primeiros vinte anos do século XX foram marcados tanto pela presença de resíduos culturais do século XIX, como pelo desejo de uma redescoberta crítica do Brasil.

Oscilando entre uma produção conservadora, com características realistas/naturalistas na prosa e parnasiano-simbolistas na poesia e, uma produção inovadora com um profundo interesse e preocupação em registrar, na prosa, os desequilíbrios sociais da época. Na poesia, Augusto dos Anjos utiliza palavras antipoéticas que afrontam a sensibilidade parnasiana.

Para saber mais:
Ufanista: patriótico, nacionalista, orgulhoso, vaidoso, etc.

Denominação do período

A denominação do período surgiu em razão do ecletismo da época, onde várias correntes e estilos indefinidos chocavam-se entre o academicismo e a inovação. O responsável pela criação do termo pré-modernismo foi o crítico Alceu de Amoroso Lima, em 1950.


Alceu Amoroso Lima, também conhecido pelo pseudônimo Tristão de Athayde, presença importante no cenário intelectual brasileiro.

No entanto, é correto afirmar que se trata de um conceito equivocado, que não compreende a complexidade estética e ideológica das obras então produzidas, considerando-se apenas textos precursores da Semana de Arte Moderna. No entanto, exigências didáticas e a falta de outra classificação aceitável acabaram por difundir o referido termo. Portanto, pré-modernismo passou a indicar a maior parte das obras produzidas no período.

Para saber mais:
Ecletismo: combinação de diferentes estilos.

Manifestações artísticas no período

No Brasil, o ecletismo acadêmico deu fôlego à pintura em um período que se situa entre o esgotamento das propostas iniciadas com a instalação da Academia Imperial e o Modernismo.

Em 1915, Lasar Segall fez a primeira exposição de arte moderna, seguido por Anita Malfatti, que em 1917, expôs seus quadros para mostrar o que aprendera com os mestres expressionistas alemães e norte-americanos.


Reprodução da Obra de Lasar Segall – Menino e lagartixas


Reprodução da Obra de Anita Malfatti – A estudante russa

No artigo "Paranoia ou mistificação?", Monteiro Lobato criticou impetuosamente a mostra, fato que gerou grande polêmica e que seria a fermentação para a Semana de Arte Moderna.


Trecho do artigo de Monteiro Lobato, publicado no Estado de São Paulo.

Na música, compositores brasileiros com formação erudita, como Alberto Nepomuceno, utilizavam temas do folclore brasileiro. Na música popular, o choro, o maxixe, a modinha e o samba substituíram a polca, o tango e a valsa nos salões. Importantes compositores do período: Ernesto Nazaré e Chiquinha Gonzaga, autora da primeira marchinha de carnaval, Ô abre alas, em 1899.


Chiquinha Gonzaga aos 47 anos

  
Como referenciar: "Pré-Modernismo - Características" em Só Literatura. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 18/04/2019 às 17:55. Disponível na Internet em http://www.soliteratura.com.br/premodernismo/premodernismo2.php