Autores do Pré-Modernismo

Augusto dos Anjos

Augusto de Carvalho Rodrigues dos Anjos nasceu em 28 de abril de 1884, no Engenho do Pau d’Arco, interior da Paraíba.

Formou-se com distinção na Faculdade de Direito do Recife, a exemplo de seu pai, conhecido advogado da região.

Posteriormente, passou a lecionar na capital da Paraíba, casou-se e foi morar no Rio de Janeiro, onde permaneceu por quatro anos. Viajou a Minas Gerais e fixou residência na cidade de Leopoldina.

Vítima da tuberculose, morreu aos trinta anos, tendo apenas um único livro escrito e publicado, Eu (1912).


Augusto dos Anjos, Paraíba, 1884 - 1914.


Eu (1912). Única obra escrita e publicada de Augusto dos Anjos.

Trajetória

Augusto dos Anjos é considerado o poeta mais original do início deste século. Embora apresente influências formais parnasianas, como o gosto pelos versos alexandrinos e decassílabos, influências naturalistas como a crença no cientificismo e no determinismo e influências simbolistas como o pessimismo e a musicalidade dos versos, produziu uma poesia singular, expressa em uma única obra, Eu.

Em seus versos escabrosos, sem esperança e trágicos, surpreende o vocabulário, repleto de termos científicos e antipoéticos com expressões como vomito, vermes, escarro, podridão, cadáveres. Observe essas características no soneto abaixo:

Versos íntimos

“Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!”

A obra de Augusto dos Anjos versa essencialmente sobre a visão da morte em seus aspectos mais chocantes e a linguagem cientificista.
  
Como referenciar: "Augusto dos Anjos" em Só Literatura. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 16/07/2019 às 07:50. Disponível na Internet em http://www.soliteratura.com.br/premodernismo/premodernismo8.php