Você está em Material de apoio > Modernismo

Segunda fase do Modernismo (1930 - 1945)

A segunda fase do modernismo foi um momento rico na produção poética e também na prosa. O universo temático ampliou-se e os artistas passaram a se preocupar mais com o destino dos homens e sua presença no mundo.

A poesia na segunda fase do modernismo voltava-se para o sentimento humano, levantando o questionamento sobre a existência humana e a compreensão do local do mundo e do local que o ser humano tem neste mundo repleto de conflitos.

A prosa neste período volta-se para a crítica social, levando em consideração os retratos de várias regiões do país (regionalismo) como forma de denúncia dos problemas sociais de cada região e com uma reflexão sobre a solução do problema.

A literatura de 30 é mais madura. Não traz a descontração e a irreverência da fase anterior. No entanto, apresenta reflexões sobre a realidade do povo brasileiro, trazendo à tona o nacional através desta reflexão, com textos de linguagem mais próxima do popular.

A segunda fase do modernismo amadureceu as propostas de 22 eliminando exageros, ao mesmo tempo em que deu continuidade às pesquisas estéticas, onde a primeira geração reabilitou as formas tradicionais, como soneto e verso com rima. Na segunda fase, a temática foi mais politizada, no entanto não deixou de lado a introspecção e o espiritualismo.

Principais autores modernistas da segunda fase

A partir de agora, estudaremos os principais nomes desta fase, como:

- Carlos Drummond de Andrade
- Cecília Meireles
- Vinicius de Moraes
- Murilo Mendes
- Jorge de Lima
- Rachel de Queiroz
- Graciliano Ramos
- José Lins do Rego
- Jorge Amado
- Erico Verissimo


Alguns destaques da segunda fase modernista

  
Como referenciar: "Segunda fase do Modernismo" em Só Literatura. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 20/01/2019 às 23:10. Disponível na Internet em http://www.soliteratura.com.br/modernismo/modernismo7.php