Vanguardas artísticas (continuação)

Escritores brasileiros surrealistas e suas obras

Na literatura brasileira, destacaram-se os seguintes autores e suas respectivas obras, onde através de seus poemas e textos, é visível a busca pela construção de imagens que trazem à tona o misterioso inconsciente.

Murilo Mendes (1901 – 1975): Poesia em Pânico; O Visionário; As Metamorfoses; Mundo Enigma; Contemplação de Ouro Preto; Poesias; A Idade do Serrote.


Murilo Mendes

Observe as características do surrealismo neste fragmento de Poesia liberdade:

  Aproximação do terror
1
Dos braços do poeta
Pende a ópera do mundo
(Tempo, cirurgião do mundo):

O abismo bate palmas,
A noite aponta o revólver.
Ouço a multidão, o coro do universo,
O trote das estrelas
Já nos subúrbios da caneta:
As rosas perderam a fala.
Entrega-se a morte a domicílio.
Dos braços...
Pende a ópera do mundo. (...)

Jorge de Lima (1893 - 1953): O Mundo do Menino Impossível; O acendedor de lampiões; Tempo e Eternidade; Invenções de Orfeu; Os anjos da noite Bizo; A mulher obscura; Guerra dentro do beco.


Jorge de Lima

Observe as características do surrealismo neste fragmento de Invenções de Orfeu:

Invenções de Orfeu
Canto III
Poemas relativos
I
Caída a noite
o mar se esvai,
aquele monte
desaba e cai
silentemente.
Bronzes diluídos
já não são vozes,
seres na estrada
nem são fantasmas,
aves nos ramos
inexistentes;
tranças noturnas
mais que impalpáveis,
gatos nem gatos,
nem os pés no ar,
nem os silêncios.

O sono está.
E um homem dorme. (...)

Roberto Piva (1937-2010): Paranoia; Praça da República dos meus Sonhos; Antologia Poética; Um Estrangeiro na Legião: obras reunidas, volume 1; Mala na Mão & Asas Pretas: obras reunidas, volume 2; Estranhos Sinais de Saturno: obras reunidas, volume 3.


Roberto Piva

Observe as características do surrealismo nesta poesia:

Paranoia em Astrakan
Eu vi uma linda cidade cujo nome esqueci
onde anjos surdos percorrem as madrugadas tingindo
seus olhos com lágrimas invulneráveis
onde as crianças católicas oferecem limões para
pequenos paquidermes que saem escondidos das tocas
onde adolescentes maravilhosos fecham seus cérebros
para os telhados estéreis e incendeiam internatos
onde manifestos nihilistas distribuindo pensamentos
furiosos puxam a descarga sobre o mundo
onde um anjo de fogo ilumina os cemitérios em
festa e a noite caminha no seu hálito
onde o sono de verão me tomou por louco e decapitei
o Outono de sua última janela
onde o nosso desprezo fez nascer uma lua
inesperada no horizonte branco
onde um espaço de mãos vermelhas ilumina aquela
fotografia de peixe escurecendo a página
onde borboletas de zinco devoram as góticas
hemorróidas das beatas
onde as cartas reclamam drinks de emergência
para lindos tornozelos arranhados
onde os mortos se fixam na noite e uivam por
um punhado de fracas penas
onde a cabeça é uma bola digerindo os aquários
desordenados da imaginação

O Surrealismo foi o último movimento da vanguarda europeia.

  

Como referenciar: "Escritores brasileiros surrealistas e suas obras" em Só Literatura. Virtuous Tecnologia da Informação, 2007-2019. Consultado em 21/09/2019 às 08:31. Disponível na Internet em http://www.soliteratura.com.br/premodernismo/premodernismo20.php